Ártico, Metano, Temperatura

Água Quente Estende-se do Mar Laptev ao Pólo Norte

A imagem da NOAA NESDIS em baixo mostra as anomalias de temperatura da superfície do mar (TSM) em mais de 1°C que se estendem até ao Pólo Norte.

A 29 de Setembro de 2014, anomalias na temperatura de superfície do mar bem acima de 1ºC estenderam-se desde o Mar de Laptev até ao Pólo Norte. Criado por Sam carana para o Arctic-news.blogspot.com com o methanetracker.orge com dados da NOAA NESDIS

A 29 de Setembro de 2014, anomalias na temperatura de superfície do mar bem acima de 1ºC estenderam-se desde o Mar de Laptev até ao Pólo Norte. Criado por Sam carana para o Arctic-news.blogspot.com com o methanetracker.orge com dados da NOAA NESDIS

A imagem abaixo dá-nos uma visão do mundo, mostrando anomalias de TSM no topo da escala no Mar Laptev.

Anomalias da Temperatura de Superfície do Mar de Laptev até 5ºC
A extremidade superior da escala na imagem acima é de 5°C (ou 9ºF). A visualização em baixo usa uma escala muito maior. Mesmo esta escala maior parece não capturar totalmente a terrível situação em que estamos.

Águas Quentes a Entrarem no Oceano Ártico Pelo Estreito de Bering, a 30 de Setembro de 2014
A imagem acima mostra a água quente que entra no Oceano Ártico através do Estreito de Bering e do Atlântico Norte. Nos próximos meses, a Corrente do Golfo vai continuar a empurrar água morna para o Oceano Ártico (ou seja, água que está mais quente do que a água do Oceano Ártico). Demora algum tempo (ou seja, meses) para que a água quente do Atlântico Norte chegue ao Oceano Ártico.

No ano passado, as emissões de metano começaram a tornar-se enormes em Outubro e isso durou cerca de seis meses. A imagem abaixo, de uma publicação anterior, mostra erupções de metano do fundo do mar do Oceano Ártico a 16/17 de Outubro de 2013.

Erupções de metano do fundo do mar do Oceano Ártico a 16 e 17 de Outubro de 2013.
A imagem abaixo, de uma outra publicação anterior, mostra erupções de metano do fundo do mar do Oceano Ártico a 31 de Outubro de 2013.

erupções de metano do fundo do mar do Oceano Ártico a 31 de Outubro de 2013
A imagem abaixo, de ainda mais uma publicação anterior, mostra os níveis de metano tão altos quanto 2.662 partes por bilião a 9 de Novembro de 2013.

Níveis de metano de 2.662 partes por bilião a 9 de Novembro de 2013
Este ano há ainda mais calor dos oceanos presente, especialmente no Atlântico Norte e no Pacífico Norte. A 29 de Setembro de 2014, níveis de metano tão altos quanto 2.641 partes por bilião foram registados e parece que o pior ainda está por vir.

Níveis de metano elevados (2.641 partes por bilião), a 29 de Setembro de 2014
A situação é grave e exige uma ação abrangente e eficaz, como discutido no blogue Climate Plan.


Artigo traduzido do original de Sam Carana que foi publicado no Arctic-news.blogspot.com a 30 de Setembro de 2014

Standard